Edições 2019 Anos anteriores
Empresas vencedoras evidenciam busca por desenvolver produtos digitais e criar canais de vendas online para se diferenciar em meio às transformações do mercado
Autor: Francisco Gioielli

Para crescer mais rapidamente, as empresas vencedoras vêm buscando desenvolver produtos digitais e criar canais de vendas online, guardadas as particularidades de cada área de atuação

Três anos se passaram desde a primeira edição do Prêmio Empresa +Digital. A tecnologia continua ganhando espaço nas organizações. A digitalização, que sempre foi impulsionada pela necessidade incessante de redução de custos, agora tem um driver mais importante para o sucesso da empresa: levar uma melhor experiência para o cliente final.

A Inteligência Artificial, por exemplo, já está gerando resultados em todas as empresas mais digitais. Sua aplicação mais frequente é em chatbots para atendimento a clientes externos e internos, mas ela também já agrega qualidade e funcionalidades aos produtos.

As áreas de negócios e tecnologia se integram cada vez mais. Os CIOs das empresas que mais tiram proveito da digitalização deixaram de centralizar processos e desenvolvimento para alocar mão de obra nas áreas de negócios, embora continuem responsáveis pela conformidade dos sistemas a legislações específicas e suas certificações.

A migração de plataformas e sistemas para a nuvem surge como grande facilitadora da mobilidade. Trabalhar remotamente, no entanto, ainda não é o hábito mais frequente - seja por preferência do funcionário, que encontra melhor infraestrutura e menos distrações no ambiente corporativo, seja em função dos processos da organização. A metodologia Ágil, por exemplo, ainda funciona melhor com as pessoas presentes no mesmo espaço físico.

Em algumas empresas, processos automatizados enviam periodicamente informações aos colaboradores, recurso importante para manter todos em sintonia com metas e resultados. Assim, é possível criar um alinhamento em prol dos objetivos da empresa e facilitar o trabalho dos gestores.

Nas organizações vencedoras, as informações já se propagam de forma digital. Isso significa que pesquisa e acesso à informação estão deixando de ser um desafio. As únicas áreas em que ainda circulam papéis são aquelas em que há exigência legal de guarda de documentos físicos. É o caso, por exemplo, do setor financeiro em determinadas empresas, que mantém a guarda de documentos tributários por alguns anos para cumprir recomendações de assessorias contábeis ou da própria Receita Federal.

O uso de redes sociais já está consolidado nas ações de marketing das empresas mais digitais, que costumam incentivar os colaboradores a compartilhar conteúdo relevante. Uma prática comum é monitorar menções aos nomes e produtos das empresas, com o objetivo de ajustar ações e responder críticas a tempo.

Todas as organizações também têm canais internos para denúncias anônimas, críticas e sugestões. Nas empresas com maior número de colaboradores, plataformas robustas de intranet são cada vez mais usadas para reunir dados de avaliações, perfis profissionais e processos de recrutamento interno.

Para crescer mais rapidamente, as empresas vencedoras vêm buscando desenvolver produtos digitais e criar canais de vendas online, guardadas as particularidades de cada área de atuação. Em alguns casos, isso pode exigir parceria com outros players, que gerenciam etapas como controle de estoque e entrega do produto ao cliente final.

Por fim, as empresas vencedoras afirmam que ser mais digital é agregar valor à própria atuação no mercado, atraindo a atenção de clientes e de profissionais qualificados.

Francisco Gioielli é CEO da +Digital Institute.

Nossas Mídias

Bolsa de Empregos

Clientesa.com.br - Revista Cliente S.A.
Copyright © 1998 - 2019 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered by